Queridos irmãos, amigos, pessoas, gentes e povos de todas as raças deste mundo,

Como é belo o seu mundo e como é belo o propósito de mudanças que está em discussão do lado de cá, com vistas a proporcionar maiores desenvolvimentos a esse mundo tão bonito e abençoado. Um mundo de tanta luz e tanto amor está sendo planejado. Mas tudo é uma construção. Tudo é uma oportunidade e nada vem sem esforço. Nada vem sem merecimento.

Hoje queremos lhes ensinar um pouco a respeito do conceito de vida que existe no universo. A diversidade está presente em todos os lugares e seria um egoísmo muito grande acreditar que somente em um único planeta, a Terra, existiria vida inteligente. Diante de um universo em constante expansão e infinito, vemos que o ser humano, em sua capacidade limitada, consegue explorar diversas nuances desse cosmos, mas não consegue, ainda, se atentar para algo que está muito próximo de si e que poderia explicar muito do que ocorre no outro extremo da galáxia.

O homem aprenderá ainda a importância de perceber as energias cósmicas nos diferentes níveis de vibração e poderá entender que a vida não se limita à matéria densa que compõe o orbe terrestre, onde existem animais e plantas dispostos organizadamente pelo Pai, através de seus filhos semeadores de vida. A vida é muito mais que isso, e é composta de inúmeras formas de energia, que vibram em diferentes padrões e interpenetra diferentes composições. A vida está em constante expansão, assim como o próprio universo.

Meus queridos, entendam que os mistérios do céu (entenda-se entendimentos superiores), são por demasiado difíceis de vocês compreenderem. Porque por mais que os intuamos corretamente acerca de como um universo foi criado, de forma atemporal, possuem até mesmo dificuldade de escrever e concatenar as ideias de maneira lógica, segundo sua compreensão. Pois vocês possuem, ainda, uma compreensão limitada dos conceitos cósmicos, o que limita, por sua vez, as explicações. Assim, iremos nos ater ao básico, visto que não conseguiremos nos profundar nos ensinamentos, especialmente pelo fato de que o nosso canal de comunicação (médium), sequer tem os conhecimentos adequados em física quântica para melhor lhes explicar sobre sínteses e expansões de partículas. Cabe sermos concisos, na medida do possível.

Dizíamos que o universo não possui um termo, não possui um fim, mas sempre existiu, assim como Deus, que a tudo criou. Esse conceito não é ilógico nem mesmo contraditório, mas sim explicativo, de uma forma que vocês possam absorver sem confundir suas ideias em relação ao conceito da criação universal. O fato é que, nesse cenário, os seres todos que habitam esse grande emaranhado de energia fazem parte de uma cadeia, uma rede que a tudo conecta, a tudo liga. Essa mesma rede que liga a todos é a rede que utilizamos para nos comunicar agora. É a mesma rede que contribui para que uma energia emanada por um emissor atinja um receptor. É a mesma rede que possibilita acessarmos as memórias e os registros de todo o universo, que estão espalhados por todos os lugares e disponíveis a todos aqueles cujas mentes já estão minimamente maduras para poderem acessá-los, assim como as baixas prateleiras de uma estante podem ser acessadas por uma criança que acabou de aprender a engatinhar.

Essa rede possibilita “baixar” o conhecimento universal da criação em uma espécie de vídeo-aula para assistirem quando quiserem o conteúdo do projeto primordial de cada ser. Cada ser hoje existente no universo, ou que já existiu nele um dia, possui um projeto inicial. Esse projeto necessitou ser aprovado por engenheiros siderais e necessitou de muito tempo de aprimoramento para ser minimamente perfeito, do ponto de vista da criação, para harmonizar com a natureza do local onde a semente primordial desse mesmo projeto será plantada. Ela se inicia como um projeto no plano extrafísico, e passa para do plano astral ao físico em segundos no momento da implantação, utilizando-se de energias adequadas ao adensamento dessa matéria primordial. Eis o início da primeira semente de um novo projeto, que poderá germinar em um ser vivo qualquer hoje existente, por exemplo em seu planeta.

Se acaso se lembrarem de um animal ou planta exóticos demais para terem sido meramente uma obra do acaso, mas que possuem um papel fundamental na cadeia natural do planeta, podem ter a certeza de que esse mesmo ser foi minimamente planejado por cientistas do astral, engenheiros cósmicos com a função de tornarem funcionais as ideias de complementos à obra divina, de modo a promover sempre a harmonia do orbe cuja semente acolherá em seu seio.

Até hoje novas sementes são projetadas adequadamente para que os projetos de expansão da criação se realizem. E Deus é o grande arquiteto e o grande mentor responsável por intuir e coordenar cada um dos seus filhos a realizarem essas magníficas obras. A nós cabe entender e aceitar os conceitos divinos, pois nada é permitido virar uma semente sem a aprovação do Pai, que tudo coordena e intui.

O movimento cósmico vai muito além da sua compreensão e nós entendemos que também se trata de um processo. Por mais que queiramos explicar mais sobre os conceitos da diversidade da criação, pouco ou nada acrescentaríamos às mentes ainda incapazes de entender na plenitude essa magnífica obra e sua importância.

Estejam cientes apenas de que nada se cria sem uma função. Nada se cria sem que haja a real necessidade. Porém, no processo da criação, o Pai maior permite aos seus filhos dar muitas vezes um toque diferente aos materiais que serão convertidos em sementes, de modo a fazer beleza e dar sentido à vida dos seres inteligentes que saberão apreciar a beleza daquela obra recém encontrada por seus olhos. Aos olhos do Pai, toda a criação é perfeita. No entanto, para ser perfeita ela foi primeiramente construída, arquitetada, projetada. Foi idealizada como uma proposta de benfeitoria ao mundo que a acolherá com amor; este mundo que a abrigará até o dia em que o Pai decidir que ela não mais será necessária àquela fase evolutiva do orbe. Então será extinta, por decisão maior.

A extinção, meus caros, de longe não precisa ser considerada um desastre calamitoso. Os seres humanos estão cegos demais querendo colecionar bens que se esquecem de que a arca de Noé é meramente uma história. Querem enjaular todas as espécies e garantir que elas viverão e darão continuidade e perpetuidade à semente que as gerou, sem considerar que talvez tenha chegado a hora daquele ser individual deixar de existir. Esse egoísmo pleno impede que as obras adequadas se concretizem. Querer manipular as formas de vida a seu bel prazer dá ao homem uma falsa ideia de que ele tem o dever de preservar qualquer forma de vida a qualquer custo, para salvá-la do próprio homem. Veem que contraditório? O homem constrói palácios para morar e rodovias para encher de veículos poluidores de ar. Em seguida realoca as formas de vida que expulsou do seu ambiente para jaulas, a fim de preservar sua semente e permitir que repovoem um outro habitat, que acreditam ser ideal para a continuidade de sua existência. Esse mesmo homem que caça e prende, e expulsa, é o homem que preserva e realoca, mas sem em nenhum momento se preocupar com “o que a natureza reserva para ambos”.

Deixemos a natureza falar e ser livre para decidir por si. Ela, como organismo vivo, representante da vontade do Pai no orbe em que se encontra, saberá conduzir adequadamente suas questões para colocar em equilíbrio sempre tudo aquilo que está sob sua gestão. Todo aquele que ignora esse grande organismo vivo que é a natureza, se esquece de que está também sob sua vontade e amparo. Ela que concede a chuva e deixa ver o Sol que passa por suas nuvens, as cores do arco-íris e o vento que os refresca no dias de verão, é a mesma mãe dos terremotos e tsunamis, das tempestades e vendavais destruidores, que tem como único objetivo recolocar no devido lugar as células que compõem seu organismo. Muitas vezes nos esquecemos dela. Respeitem-na, pois ela é muito maior do que pensam. Mas é amorosa e ao mesmo tempo justa, pois nunca priva qualquer ser sob seu seio de crescer e aprender, mesmo que através de duras lições.

Ademais, me despeço deixando aqui meus agradecimentos pelos conhecimentos que puderam ser transmitidos.
Esperamos que em nova oportunidade nossos filhos já possam estar mais abertos aos aprendizados universais e cientes de que, sim, há mais coisas a saber, mas muito além do que conseguiriam entender.

Que o Pai maior os encha de bênçãos, amor e paz durante esta caminhada tão fundamental no processo evolutivo de vocês.
Fiquem em paz.

Autor: Artemis – Guardião dos Registros Akáshicos.
Local e data: São Paulo, 06/05/2016
Canal: Fernando

COMPLEMENTO AO ARTIGO – Sobre os animais e a extinção

Nada ocorre sem que o Pai saiba. Um animal não será jamais extinto sem o aval do Pai. Assim ocorre com todas as espécies. Isso não significa, no entanto, que todos os animais extintos o foram dentro do programado. Muitos foram extintos muito antes do que era devido, devido aos desmandos do ser humano. Porém, mesmo nestes casos, o ok do Pai Celestial foi necessário. Não se enganem, temos formas de evitar o desaparecimento de uma espécie se assim o desejarmos. Simplesmente evitando por vezes que certos animais encontrem os humanos, direcionando-os para outras áreas. Ou por vezes com formas mais elaboradas, como até a própria reimplantação de seres daquela espécie.

Mas a pergunta é, o merecem? Muitas espécies eram dádivas dadas pelo Pai a vocês, com funções e fins específicos. Se não as protegem, porque haveríamos de mover mundos e fundos para fazê-lo por vós?

Não se enganais. Se as espécies que os cercam ainda estão na Terra é porque o Pai permite. E muito mais permitiria, se tivessem o mínimo cuidado com vossos irmãos em pele de animais. São também irmãos. Todas as formas de vida são seus irmãos. Mesmo que não as entendam assim. Estão por certo em outro estágio de desenvolvimento, mas os auxiliam, e os honram com sua presença e dons, auxiliando no equilíbrio e na beleza deste planeta.

Por isso, nada temeis. Não são agentes humanos que levam espécies animais da Terra, mas sim estes magníficos animais que obtém a autorização para deixar vosso planeta, para povoar outros planetas com mais cuidado e carinho para com eles.

Cuidai pois, de todos os animais. Eles os escolheram, não o contrário. Não de uma forma consciente, mas com uma consciência mais simples, que optou por servir da forma como pode neste planeta, seja auxiliando-os, fazendo-lhes companhia, distribuindo pólen entre as flores, ou simplesmente mantendo vosso eco sistema em equilíbrio, no comer, dormir e viver.

Autor: Guardião dos Registros Akáshicos.
Local e data: São Paulo, 07/05/2016
Canal: Mirela

Comentários

comentários